Filme: Como eu era antes de você

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Olá gente, tudo bom?

Então, acabei de assistir a adaptação do livro da Jojo Moyes Como eu era antes de você e, devo dizer, que para um roteiro escrito pela própria autora do livro, ela deixou muito a desejar. Mas vou começar explicando do começo para que as pessoas entendam. Antes do filme ser lançado oficialmente aqui no Brasil rolaram algumas polêmicas na net sobre a decisão que o Will, interpretado por Sam Claffin, toma no final do filme. É claro que eu como uma fã fervorosa do livro defendi essa decisão, mas depois de assistir o filme consegui entender o receio da galera.

Então, vou contextualizar aqui para vocês entenderem do que estou falando. 

Will Traynor é um cara rico, bem sucedido, com uma noiva e uma carreira de sucesso até o dia em que um grave acidente o deixa tetraplégico o fazendo perder tudo. Depois de tentar diversos tratamentos para voltar a sua vida normal, percebe que a situação é irreversível e dois anos se passam durante os quais Will se torna cada vez mais amargurado. Louise Clark é uma garota estranha com um guarda roupa peculiar, que está desempregada e desesperada por um emprego, pois precisa do dinheiro para sustentar a família. Louise é chamada para uma entrevista onde trabalhará como cuidadora (detalhe: sem saber nem de quem irá cuidar) e é aceita, mas ao se deparar de quem irá cuidar, começa a pensar duas vezes o porque de aceitar o emprego e também o motivo de tantas pessoas terem desistido da vaga.


Will impossibilita todas as tentativas de Lou de se aproximar dele com sarcasmos e ironias, fazendo com que ela, já em seu limite, acabe descarregando algumas das muitas verdades que vem guardando em seu íntimo sobre ele e seus comentários depreciativos. Bem, é a partir daí vemos a relação dos dois começa evoluir. Will passa a ser mais civilizado e até fazer algumas das atividades propostas por Lou. A amizade dos dois começa a se transformar em outra coisa, porém Lou descobre algo que irá mudar tudo e ela terá pouco tempo para fazer com que Will mude de ideia, mas se empenhará ao máximo para conseguir isso.

Anyway, com qualquer adaptação de livro não pude deixar de comparar o filme com o livro. Com Como eu era antes de você não foi diferente. Vemos que o o filme está bastante parecido com o livro, ele tem todas as partes importantes, mas faltou emoção, pelo menos, para mim e, como um amigo disse, o resultado final ficou parecendo uma junção de recortes do livro. Além de que eles resolveram se focar tanto no romance que esqueceram de focar no que fazia a história de Lou e Will tão diferente e especial.

O livro não conquistou só porque era um romance que iria contra todas as possibilidades, mas porque também gerava a reflexão a cerca do dilema de viver ou morrer, era um filme que deveria gerar o respeito sobre as decisões que cada um toma, era para nos fazer pensar sobre a relação do amor e a vontade de viver. Mas foi como se a direção não quisesse ousar tanto, sabe? No fim foi como se a produção do filme quisesse nos poupar dos detalhes feios da situação de Will, como se eles não existissem e nos mostrasse só os bonitinhos para que o romance pudesse fluir e tudo corresse bem e, por isso, o Will do filme se tornou um personagem superficial. 

Quer dizer, olha só a mensagem que o filme passa: o Will é podre de rico, tem uma cadeira de rodas incrível, um jatinho particular, porque imagina só uma pessoa tetraplégica andando em avião naquele aperto, mas não, o Will tem um jatinho que o leva para qualquer lugar que ele quiser, resumindo, uma vida melhor do que a de muita gente, mas mesmo assim e aqui vai um SPOILER, ele quer se matar. E o problema não é nem ele querer se matar, gente, é porque os motivos para ele querer se matar não são trabalhados no filme, o que o faz a pessoa mais egoísta do mundo, porque podemos presenciar as pessoas que o amam sofrendo com toda a situação também, né? Tipo, o que fez TODA a diferença no livro e o fez se tornar um bestseller só é mencionado no filme. Então, sim, deu para entender o porque de toda a polêmica que gerou na pré-estreia dele e o porque de tanta gente ter criticado o filme.

Fora isso, acho que o que salvou o filme foi a Lou (Emilia Clarke). Sério, ela conseguiu retratar a Lou do livro perfeitamente, como a pessoa descontrolada emocionalmente, meio louca, com um gosto exótico para roupas. Não tinha como não adorar as expressões da Lou ou as caras e bocas que ela estava sempre fazendo. E, claro, deu para ver a química entre o casal, Lou e Will, eles estavam incríveis juntos. E se dá para se emocionar com o filme? Dá sim, acho. Eu não fui uma das pessoas emocionadas do filme, mas pude ver muitas aos prantos no cinema. Você provavelmente vai rir mais que chorar e isso é ótimo, pelo menos para mim, é. E sim, dá para curtir o filme mesmo com tudo isso, mas como disse antes, a história deixa muito a desejar.




Daniele Costa
Leitora Compulsiva. Geek. Fangirl. Que tem uma queda por histórias de ficção fantasiosa, especialmente se tiverem aquele ar sombrio, mas que não resiste a um romance fofo. Autora do blog Estante de uma Fargirl.

13 comentários:

  1. Oi, Daniele, tudo bom?
    Eu ainda não fui ao cinema, meus planos são de ir na segunda-feira que vem.
    Vi muita gente falando muitíssimo bem do filme, mas se for como você falou, acabo de ficar desanimada.
    Não desestirei dele, porém. Veremos o que vou achar hehe

    Ótimo post, beijos!

    http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ah, que pena que você não gostou tanto!
    Eu estou super ansiosa para assistir, amo taaaaaaaaaaaanto esse livro.
    Acho que a Emilia Clarke combinou muito com a Lou, assim como o Sam Claflin.
    Espero assistir essa semana!

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani e Ingrid, suas lindas, tudo bem com vocês?
    Dani, essa é a terceira crítica que leio desse filme hoje, e vocês tiveram basicamente a mesma opinião, que pena que a profundidade da questão que é discutida no livro não foi passada no filme tornando-o um pouco superficial. E não sabia que a autora assina o roteiro, o que me deixou surpresa, talvez, tenha sido exigência de quem comprou os direitos autorias. Mesmo assim, não vejo a hora de ler o livro e ver o filme também. Adorei a sua crítica, está muito bem argumentada.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do blog, você escreve muito bem e as resenhas são ótimas! Já tem uma nova seguidora, beijoss

    literalizza.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Segunda crítica negativa q leio hj, uma pena q tenha ficado tão superficial e romantizado. Realmente n é a essência do livro.
    Acho q irei assistir o filme hj, então, vamos ver se irei achar o msm XD
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
    Ps: tem sorteio rolando no blog ;) #2AnosDeACDH

    ResponderExcluir
  6. Estou me sentindo até uma insensível, mas gente, não achei o filme essa coca-cola toda não!
    Vi gente falando que riu até a metade do filme e na metade restante chorou... E olha, sou a pessoa mais manteiga derretida, choro até com uma mosca sendo morta, mas menos, né galera?

    O livro de fato, é muito bom (bom MESMO! <3), mas quem for das antigas, dos anos 80/90 e se lembrar de um filme estrelado pela Julia Roberts chamado "Por Amor" vai ver que a premissa do filme é, 90% IDÊNTICA a "Como eu era antes de você".

    As cenas são lindas, a trilha sonora maravilhosa, mas vamos combinar que se você assiste o trailer, já saber de 90% do filme...

    Enfim, não achei tão tocante, tão emocionante, tão a ponto de chorar como vi/li por aí.
    Aliás, daria pra ter esperado de boa ele ser lançado em DVD e ter economizado uma graninha, haha!

    Achei "A Culpa é das Estrelas" até melhor e olha que eu tenho o maior preconceito do mundo com o João Verde lá.

    Mas confesso que o ator é uma graça e a minha querida mãe dos dragões se saiu maravilhosamente bem no papel!

    Fora isso, de 0 a 5, eu dou nota 2 (e olhe lá!).

    ResponderExcluir
  7. SIM!! Nossa, foi exatamente isso o que eu pensei. O filme não teve emoção. É bonito, singelo, faz as pessoas chorarem, mas não traz o significado total do livro. Todos elogiaram tanto que deixei esse pensamento de lado, mas eu via as pessoas saindo do cinema, ninguém furioso com a decisão dele, só "ok. legal." Acho que depois da montanha russa que passamos com o livro, dá a impressão mesmo de que o filme ficou ótimo, mas ficou faltando algo

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Dani! Eu já li o livro, mas como você tá falando do filme não sei se devo ler o post completo por medo de me sentir influenciada na hora que for assisti-lo :(
    To com medo de acabar não gostando tanto igual a maioria das pessoas kkBeijos
    Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  9. Oi Dani!!!

    Eu gostei muito do filme e chorei claro rsrsrs Apesar de achar que a atriz que faz a Lou não sabe chorar, achei que ela interpreta muito bem a personagem e é realmente a alma do filme!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Oiii, ainda não li o livro nem vi o filme mas aquele spoiler ali não me assustou muito. Só pelo nome do segundo livro a gente já imagina o que acontece haha

    Beijos,
    Natália.

    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Daniele!
    Eu amei o filme. Concordo com você quanto ao fato de, por ter sido escrito pela autora, alguns detalhes da história ficaram de fora. Sem dúvida, você tem razão. Mas acho que o filme funcionou mais comigo do que o livro. Eu me emocionei com a leitura, mas a adaptação me fez chorar de forma frequente; saí arrasado da sessão.
    E sim, a Emilia arrasou na atuação mesmo.
    Ótima resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Eu comprei o livro mais ainda não tive tempo de ler...
    Pensei em ver o filme, mais decidi que seria melhor ler o livro primeiro.

    Amei a resenha <3

    Kissu

    www.watashinosekaibykrol.com

    ResponderExcluir
  13. Olá, Daniele.

    Eu li este livro no começo do ano, apesar de alguns probleminhas com ele, gostei da história. A adaptação ficou devendo algumas partes, mas achei bem interessante como representaram a Loui. Adorei que realmente mostraram os modelitos dela (já que não dá para VER pelo livro.)

    Ótima resenha.

    Beijos.
    vidaemserie.com

    ResponderExcluir

 
© Blog Resenha Atual - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda Tecnologia do Blogger.
imagem-logo