Resenha: A vida em tons de cinza - Ruta Sepetys

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016
Oii pessoal como estão?

Muitos não me conhecem com certeza, e os poucos que sabem quem sou eu devem estar estranhando o que eu estou fazendo aqui. Postando resenha no blog errado? Não! 
À partir de agora eu também vou estar por aqui como resenhista, postando algumas novidades legais que andei lendo e que me encantaram (ou não....). 
Para quem não me conhece, sou a Alice, tenho 25 anos e sou natural de Uruguaiana, no RS, porém, desde 2010 vivo em Corrientes, na Argentina. Desde que mudei de cidade, adquiri o hábito de ler. Na verdade, desde a adolescencia eu sempre gostei de livros, mas o hobbie passou a ser mais frequentemente depois da mudança. Durante esse tempo, li muita coisa boa e outras... nem tanto... e por causa dessa paixão de ler e viver as histórias alheias passei a querer compartilhar minha opinião, através de um blog. E de resenha em resenha descobri o Resenha Atual, da Ingrid e da Sarah, e agora, junto com elas, espero ajudar a espalhar um pouco mais essa paixão por falar de livros...



Lina Vilkas é uma lituana de 15 anos cheia de sonhos. Dotada de um incrível talento artístico, ela se prepara para estudar artes na capital. No entanto, a noite de 14 de junho de 1941 muda para sempre seus planos. Por toda a região do Báltico, a polícia secreta soviética está invadindo casas e deportando pessoas. Junto com a mãe e o irmão de 10 anos, Lina é jogada num trem, em condições desumanas, e levada para um gulag, na Sibéria. Lá, os deportados sofrem maus-tratos e trabalham arduamente para garantir uma ração ínfima de pão. Nada mais lhes resta, exceto o apoio mútuo e a esperança. E é isso que faz com que Lina insista em sua arte, usando seus desenhos para enviar mensagens codificadas ao pai, preso pelos soviéticos. A vida em tons de cinza conta a história de um povo que perdeu tudo, menos a dignidade, a esperança e o amor. Para construir os personagens de seu romance, Ruta Sepetys foi à Lituânia a fim de ouvir o relato de sobreviventes dos gulags. Este livro descreve uma parte da história muitas vezes esquecida: o extermínio de um terço dos povos do Báltico durante o reinado de horror de Stalin. Para Estônia, Letônia e Lituânia, essa foi uma guerra feita de crenças. Esses três pequenos países nos ensinaram que a arma mais poderosa que existe é o amor, seja por um amigo, por uma nação, por Deus ou até mesmo pelo inimigo. Somente o amor é capaz de revelar a natureza realmente milagrosa do espírito humano.
                     
                           Autor:Ruta Sepetys   Páginas: 240  Editora: Arqueiro

É difícil expressar em palavras os sentimentos que muitos livros geram em nós. A vida em tons de cinza é um daqueles livros em que começo a resenha sem saber exatamente o que deveria escrever, mas tentando passar à você que me lê agora pelo menos uma pequena idéia de todas as emoções geradas por essa história.
Primeiramente pode parecer exagero, mas tenho que dizer: A vida em tons de cinza é simplesmente um daqueles livros que TODOS deveriam ler!

Sabemos já o quanto as guerras podem ser cruéis, sabemos que na maioria das vezes quem paga são quase sempre as minorias, étnicas ou religiosas. Já escutamos sobre isso ao estudar sobre a Segunda Guerra Mundial e o extermínio do povo judeu nos campos de concentração nazistas, Podemos ver, com os nossos próprios olhos e ás vezes em tempo real, como grupos terroristas exterminam grupos inteiros de minorias religiosas no Oriente Médio, mas, mesmo com tantas atrocidades, há algumas histórias que são bem pouco lembradas. Histórias que, por alguma razão inexplicável, foram esquecidas ou deixadas de lado. Histórias brutais, chocantes, devastadoras, como por exemplo o genocídio armênio cometido pela Turquia em 1915 ou as violentas ditaduras que sacudiram a América Latina durante a segunda metade do século passado. Entre essas histórias ignoradas também está os massacres cometidos por Josef Stalin e seus homens, o NKVD (a antecessora da KGB soviética) que assassinou milhares de pessoas durante a ocupação da Lituania, Letonia, Estonia e Finlandia. 

A vida em tons de cinza nos apresenta exatamente essa parte sombria da história, o massacre que foi cometido por aqueles que muitos de nós apenas conhecem como "os heróis da Segunda Guerra que derrubaram a Hitler" e que infelizmente também deixaram um rastro de destruição que em muitos aspectos pode se comparar ao próprio massacre cometido por Hitler e seus soldados.

Lina é uma adolescente comum, que vive em uma família estruturada e feliz na Lituania. Um dia seu pai não volta mais pra casa e, quando o NKVD invade a sua casa, obrigando a sua família a reunir poucos pertences e se retirarem da sua casa, Lina não consegue entender porquê aquilo está acontecendo. À partir desse momento, Lina e seu irmão menor, Jonas, que até então viviam alheios aos efeitos da guerra, terão que crescer em meio à fome e a opressão, ver rostos conhecidos darem o seu último suspiro, e terão como única meta a sua própria sobrevivência. Colocados junto a outros lituanos em um vagão de trem imundo e sendo conduzida para longe de seu país, para os campos gelados da Sibéria, Lina e os outros terão não apenas o inverno rigoroso da Sibéria como adversário mas, principalmente, deverão enfrentar o descaso e a maldade humana.



O livro nos é narrado por Lina, que passa a desenhar os eventos marcantes vivenciados, na esperança de que um dia seu pai encontre os seus desenhos e possa dar com o paradeiro da família. Durante o transcurso da história, acompanharemos não apenas o sofrimento de Lina, mas também o seu amadurecimento, a descoberta do amor e a dor da perda daqueles que passa a considerar como parte de sua família.

A narrativa de Ruta é comovente, há momentos em que me custava aceitar que o ser humano fosse realmente capaz de causar tanto sofrimento ao seu próximo, como diversas cenas brutais que nos narram os momentos mais chocantes de Lina e sua família. A perda da dignidade, da liberdade e, por fim, a perda da esperança, é sentida pelo leitor como se fossemos também nós parte daquela realidade tão dura.
"Nós estávamos no fundo do oceano, mas ainda assim tentávamos alcançar o céu. Percebi que, se erguêssemos uns aos outros, talvez conseguíssemos chegar um pouco mais perto".

O início é um pouco lento, entendo que a autora precisa nos fazer entender com clareza o contexto histórico em que a história está ambientada. Após esse momento, a história me prendeu muito, praticamente não consegui parar de ler, ávida por descobrir porquê a família de Lina foi levada à passar aquele calvário nas mãos dos soviéticos. 
Enquanto tentava desvendar cada um dos segredos que se entrelaçam na história, também aprendia sobre a força que somos capazes de encontrar uma vez que estamos realmente determinados a sobreviver, como estavam Lina e a sua família.

Além de Lina, o livro nos apresenta outros personagens igualmente cativantes, como a mãe de Lina, Elena, um personagem que comove o leitor, ao trazer-nos uma lição de humanidade e mostrar-nos que o amor pode derrubar mais barreiras do que imaginamos. Veremos o amadurecimento de Andrius, o interesse amoroso de Lina, um rapaz lituano que nos apresentará um lado bem duro da guerra e Jonas, o irmão caçula de Lina que, em um primeiro momento é apenas uma criança sem nenhuma noção do que se passa ao seu redor, para logo em alguns capítulos tornar-se alguém valente e determinado.
Há outros personagens que entram e saem da história, ajudando a manter o suspense e o ritmo rápido de leitura.

A ambientação da fria Sibéria está tão bem retratada que nos permite facilmente imaginar cada um dos lugares descritos. 
O livro é baseado em fatos reais. Ruta Sepetys reproduz diversos testemunhos e depoimentos dos poucos sobreviventes daquele período sombrio e sinceramente, confesso que fica difícil resenhar e resumir em poucas palavras uma história tão intensa e profunda, que vale tanto a pena ser lida. conhecida e lembrada.

Resumindo, A vida em tons de cinza é um relato brutal  de um período esquecido da nossa história que nos fala não apenas de guerras e tragédias, mas principalmente, nos fala da bondade que persevera apesar de todo o mal, nos fala de uma esperança que não pode acabar e de uma fé que insiste em resistir mesmo quando já não nos resta nada.



Alice Duarte
25 invernos, Mãe de dois, Casada, Leitora compulsiva, Drama queen, Fashion victim, Coffee addict, Intento de blogueira. Autora do blog Um Blog Litteraire.

42 comentários:

  1. Oi, Alice! Peraí, você não é argentina? Eu jurava que você era estrangeira e não gaúcha. Caramba! Choquei haha
    Enfim, falando do livro. Acredito eu que esse é um tema forte, que não agrada a todos os tipos de pessoa. O leitor que for ler algo do gênero, tem que ter estômago, porque ás vezes ler sobre a crueldade humana enfraquece nossa mente em diversos sentidos. Eu não sei se leria. Nunca me enquadrei nessa de procurar sobre guerra e afins, e não se se me sentiria a vontade para tal coisa, mas livros assim sempre nos dão ensinamentos, esses que precisamos aprender. Quem sabe um dia...
    Beijo! Leitora Encantada
    Participe do Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
  2. Oi Alice, sua linda, tudo bem?
    Confesso que essa foi exatamente a minha reação: será que entrei no blog errado??? Risos.... Estou muito feliz por você, seja bem-vinda!!! Não sabia que morava na Argentina, muito legal!!! Já começou arrasando, nunca vi esse livro na blogosfera e nossa, super tenso!!! Concordo muito com você. Existem infelizmente, várias atrocidades cometidas pelo homem que não são divulgadas como a Segunda Guerra. Eu sempre me emociono muito com essas histórias, elas mexem profundamente comigo. Mas o que chamou minha atenção nessa obra foi a mensagem de que tudo podemos resistir com o amor. Que nem a pior e maior crueldade que alguém possa vir a fazer será capaz de apagar a esperança e o amor que temos uns pelos outros. Achei lindo, já vi que irei chorar muito!!! Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice! Que legal você resenhando por aqui <3
    Já de cara digo que adorei sua resenha e fiquei super curiosa com esse livro. Tem uma premissa bacana, um tema bastante forte!

    Beijos flor!

    lendo1bomlivro.com.br
    Instagram :) @lendo1bomlivro

    ResponderExcluir
  4. Olá Alice, seja bem vinda!
    Beijos ��
    �� Lembrando que Tem post novo no ar! ��
    Blog A primeira Casa

    ResponderExcluir
  5. Oi, Alice! Bom te ler aqui também! ;)
    Esse livro está na minha lista de desejados já faz algum tempo. Histórias dramáticas ambientadas durante guerras sempre me atraem, por isso não exitei em colocá-lo lá quando li a sinopse a primeira vez. Mas ainda não tinha lido nenhuma resenha e a sua só me fez confirmar que preciso mesmo ler esse livro! A maldade humana, as coisas que o ser humano é capaz de fazer também me assustam. Mas é incrível como a bondade, o amor e a fé podem continuar existindo mesmo em meio a tanto sofrimento, como você deixou claro na sua resenha.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  6. Oi Alice, seja muito bem vinda!!

    Li esse livro há uns anos atrás, apesar de não lembrar muito da história me lembro de ter sido realmente tocada por ele...aliás todas os livros com essa temática de guerra, me tocam...é impressionante a crueldade que o ser humano pode fzer!
    É triste!

    Parabéns pela resenha.

    Beijos, Bá.
    http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Alice, tudo bem?
    Muito legal ver você por aqui. Eu gosto muito das suas resenha e adoro seu blog. Eu não conhecia o livro e te confesso que não sei se vou ler algum dia, já que está temática não me agrada muito. Mesmo assim sei da importância de sabermos o quanto as guerras são tristes e devastadoras. Linda resenha. Bem-vinda. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, um dos países que quero conhecer Argentina.
    Ainda não conhecia o livro, mais me emocionei com sua resenha fiquei imaginando quanto sofrimentos essas pessoas passaram. Nunca li nenhum gênero desse tipo, mais pretendo conhecer um dele é o Diário de Anne Frank.

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anne Frank li quando era pequena, tinha uns 12 anos acho. É um livro intenso e bem legal, que se lê bem rápido, super te indico. Aliás, da Anne se não me engano há o filme também Camila

      Excluir
  9. Olá, Alice.
    Seja bem vinda por aqui. Eu já tinha visto esse livro antes, mas acredita que eu achava que era um livro de fantasia hehe. me enganei e lendo sua resenha me deu muita vontade de ler. Acho que minha amiga tem ele e vou pedir emprestado.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Olá, Alice.
    Seja bem vinda, e que você traga resenhas boas como essa para nós.
    Vi esse livro ontem no ig, mas nem parei para ler do que se tratava.
    Eu amo livro com cargas mais pesadas.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

    ResponderExcluir
  11. Oi Alice! Que bom ter você aqui também! Eu sempre vejo as pessoas elogiando este livro, mas até hoje não consegui conferir esta história. Pelo visto não é uma leitura fácil, mas ainda assim muito interessante. Dica anotada.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Oi Alice, tudo bem?

    Que bom te ver por aqui. Jurava que você era argentina, saber que você é gaúcha foi uma grande surpresa haha
    Quanto ao livro e a sua resenha, só tenho algo para dizer: Lágrimas. As lágrimas brotaram dos meus olhos sem premissão e isso é uma grande dádiva para lguém que escreve uma resenha, então, Parabéns!
    Tenho um caso com histórias que retratam guerras, principalmente livros que retratam a Segunda Guerra Mundial e conhecer uma parte da história que é esquecida me deixa em êxtase. Saber que o ser humano consegue ser tão bruto e mal, mexe comigo de todas as formas. Com toda certeza irei ler esse livro!

    Beijos,

    Gnoma Leitora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de ler conta pra mim o que achou!!

      Bjs

      Excluir
  13. Oi Alice!! Que bacana ter mais resenhas por aqui, isso é sempre muito bom!! Adorei sua resenha e gosto bastante de histórias baseadas em fatos reais! O livro parece ser muito bom <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  14. Oii Alice, tudo bem?

    É a primeira vez que vejo uma resenha sobre esse livro!! E que tema forte né? Tem que ter muita cabeça para ler um livro assim.
    Beijos,
    https://teattimee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Quando vejo que é baseada em fatos reais já quero comprar! Amei a resenha, gosto de livros desse tipo.
    Beijos

    primaveraagridoce.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oi, Alice.
    Primeiramente, queria te desejar muito sucesso aqui no Resenha Atual. Achei que você tinha colocado o link errado lá no blog. Agora entendi tudo rsrsrs
    Eu não conhecia o livro, mas percebi que se trata de uma história bem forte.
    Não gosto muito de ler livros com um fundo histórico, com guerras, mas acho que vou dar uma chance para esse, ainda mais pelo fato da obra ser baseada em fatos reais.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vc vai gostar Sávio, a história é envolvente e quer queira ou não é um lado novo da Segunda Guerra que ficou ofuscado pelo holocausto e a maioria de nós nem conhece (eu pelo menos nem tinha idéia disso antes de ler o livro)

      Bjs

      Excluir
  17. Oi
    parece ser uma história bonita, gosto de histórias que se passam nas guerras, ele já tinha chamado a atenção quando vi o lançamento, mas agora depois de ler a resenha que foi a primeira fiquei curiosa.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oi querida,
    Seja bem vinda. Bom, eu estou chegando agora e estou amando conhecer o blog de vocês. Espero ler mais resenhas suas.

    Adorei a resenha, foi muito bem escrita. Você foi bem sincera, e eu adorei conhecer mais um livro, que a pouco era desconhecido.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  19. que resenha incrível, não conhecia essa obra, mas ela sua resenha. pode ter certeza que irei comprar. e essas fotos estão perfeitas.. beijos

    Taynara MEllo
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
  20. Oie,
    já tinha visto este livro, mas ele não me chamou atenção.
    Confesso que não faz muito meu estilo

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz
    3 livros por 20 reais

    ResponderExcluir
  21. Oi Alice, seja bem vinda! <3
    Então, eu confesso que esse não é o tipo de livro que eu costumo ler. Mas o enredo é sim muito interessante e eu gostei muito da sua resenha.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2016/12/top-10-marcas-favoritas.html

    ResponderExcluir
  22. Oi, Alice!
    Primeiramente, bem vinda!
    Mulher, eu vi quando esse livro saiu e fiquei louquinha por ele. Eu curto muito livros que tratam da Segunda Guerra. Depois dessa resenha maravilhosa então...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Natal Literário
    Participe do Sorteio de Fim de Ano
    Participe da promoção três anos de Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  23. Oi Alice! Sim, eu me assustei. rsrs Achei que estava em lugar errado, e já que estava aqui mesmo resolvi explorar (por sorte).
    Adorei o blog, e sua presença aqui ainda contribuiu mais. Serei visitinha rotineira, com toda certeza.
    Sobre a obra, não conhecia e fiquei com vontade conhecer.
    Beijos
    http://lua-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Bia

      Ai que legal que vc gostou do blog, espero te ver mais vezes por aqui, o seu aliás tb tá lindo!

      Bjs

      Excluir
  24. Oi, Alice!
    Bem-vinda! Espero poder ler muitas das suas resenhas, senão todas.
    Eu quero ler esse livro. Parece ser bem triste e pesado mesmo, e até entendo que de início a leitura seja cansativa; é como você disse, é preciso ambientar a história.
    Creio que seja uma leitura marcante, sensível e emocionante.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro

      Se vc gosta da temática, até pra conhecer um lado diferente, vale muito a pena. A narrativa da autora é ótima e a leitura nunca fica pesada

      Bjs

      Excluir
  25. Olá Alice, tudo bem?
    Só pela sinopse já percebe-se que o livro é muito bom. Depois da sua resenha então, já coloquei na minha listinha.
    Beijos!

    Http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi flor, o livro parece realmente ser emocionante, ainda mais sabendo que é baseado em fatos reais né? Ele me parece ter uma história bem interessante e super emocionante. Essa ambientação bem descritiva deve ajudar ainda mais a nossa imaginação e consequentemente influenciar na nossa emoção.

    P.S. Alice, tu tinha um outro blog né?

    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiii Nath

      Ainda tenho o outro blog, passa lá quando puder pra fazer uma visitinha. Estou de olho nas postagens do Vento tb, saudades da sua sessão das novelas mexicanas...rsrs

      Bjos

      Excluir
  27. Seja muito bem vinda, Alice! ❤️ apesar do blog não ser meu, mas como visito direto, me dou o direito de te dar as boas vindas hahahahaha
    Eu sou louca por esse livro!
    Essa capa de cara já me conquistou e pela sua resenha deu mais vontade ainda de ler!
    Vou adicionar a minha listinha de "possíveis presentes de Natal" rs
    Beijos, beijos
    www.livroseafetos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adiciona sim Kelly e depois me conta o que achou do livro.

      Bjs

      Excluir
  28. Oie
    Faz tempinho já que eu li este livro e lembro que eu curti muito, história emocionante, que nos toca.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Oi, nossa como eu não conhecia esse livro? A primeira coisa que me chamou atenção foi o fato do livro acontecer na Lituânia, eu nunca tinha lido um livro de lá e fiquei curiosa pelos detalhes do local, a segunda coisa é que eu adoro ler livros com cenários de guerra então mais um ponto a favor do livro e esse NKVD o que é isso? É algum tipo de exército lituânio? Enfim já quero o livro pra ontem, como eu não conhecia esse livro gente?
    Ah aproveitei que vim aqui e já segui seu blog pra ficar por dentro das novidades.
    beijinhos

    https://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Camila

      NKVD é a antiga polícia russa, são os antecessoras da KGB que é mais ou menos como se fosse o FBI da Russia. A NKVD existiu durante o governo do Stalin, pelo que entendi.
      Menina, tb nunca tinha lido nada da Lituania, o drama deles é tão parecido com o dos judeus e foi legal porque é uma coisa que não fazia nem idéia... Quando vc ler o livro, me escreve e me conta o que achou, acho que vc vai gostar, a autora é genial, virei fã dela.

      Bjs

      Excluir
  30. Oie Alice =)

    Que bom ver você por aqui também <3!

    Eu sempre leio resenhas bem positivas desse livro, e por ele ter uma premissa que me lembra um pouco A Linguagem das Flores (leia é maravilhoso) fico bastante curiosa em conhecer a trama.

    O problema é que são tantos livros que quero ler, e todo mês aparece mais um que esses mais antigos vão ficando de lado =/

    Ótima resenha!

    Beijos e um ótimo final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary



    ResponderExcluir
  31. Olá, Alice! Tudo bem? Seja bem-vinda!

    Eu conheço esse livro e desde quando foi lançado tenho vontade de ler. Ainda não li pela questão da prioridade mesmo, o tempo curto nos obriga a ter que escolher direitinho mesmo. Mas quero muito ler ainda, parece realmente emocionante. O título, inclusive, tem tudo a ver com esse período tão tenso.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  32. Oi Alice,
    Fico feliz em ver você por aqui também.
    Esse livro tem uma premissa bem interessante. Não faz muito meu estilo de leitura para ser sincera, mas não descarto ler ele futuramente.
    Boas Festas!!!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  33. Oi, Alice! Que resenha incrível e a dica do livro é tão excelente quanto. Esses livros ambientados na guerra sempre me comovem muito, então sinceramente não sei se estou com o emocional estabelecido o suficiente para embarcar numa história profunda dessas. Um livro chamado "Aqueles que nos salvaram", também ambientado na Segunda Guerra Mundial, me abalou tanto que até hoje me lembro das cenas mais traumatizantes! Beijinhos, Beatriz.

    O Diário de uma Escritora Iniciante

    ResponderExcluir
  34. eu simplesmente amooooo esse livro,li ano passado.
    http://escreverdayse.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
© Blog Resenha Atual - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda Tecnologia do Blogger.
imagem-logo