RESENHA: A FILHA DO SANGUE - ANNE BISHOP

terça-feira, 21 de março de 2017
O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia - a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influenciada e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos - inimigos viscerais - sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.







                ❤ Autor: Anne Bishop  Páginas: 432  Editora: Saída de Emergência 


Há dois anos atrás  procurei por um bom presente destinado à Ingrid. Me apaixonei perdidamente no momento em que vi a capa, quando  pude ler então... Meu mundo se transformou. Mesmo com toda sua complexidade, o livro facilmente pode se tornar, seu amante de todos os dias e todas as horas.

A história possui 3 mundos: o reino Comum (ou mundo físico), onde habitam os seres vivos e lúcidos; o reino distorcido, onde as almas se escondem, ou se alojam quando encontram a loucura; e o reino das trevas, lar daqueles que morreram, mas permaneceram com suas jóias. As pedras chamadas de jóias são dadas aos “sangue” como uma definição de seu poder, quanto mais escura a jóia, mais poderoso o possuidor dela. Tais pedras também permitem um fio telepático com aqueles de mesmo ou menor poder, adstrito ao interessado.

À beira de perder a lucidez, uma forte vidente revela a seu filho Daemon Sadi a profecia de uma grande e bondosa feiticeira que se tornará rainha e salvará o reino de Terreille, do governo de uma fêmea inescrupulosa e de um poder que só as mulheres detém sobre todo o povo, em sua maioria, agindo com crueldade. Daemon é o mais forte Príncipe dos Senhores da Guerra ele é muito conhecido pelo seu sadismo, e seu irmão bastardo Lucivar Yaslana, um eyreno mestiço com grandes asas  e o terceiro macho mais forte de todos os reinos, mesmo com tanto poder e sendo filhos de Saetan Sadiablo, rei Supremo do inferno, os irmãos não passavam de escravos sexuais das cortes e domados por um anel peniano de tortura em caso de desobediência.

“Era poder demais. Nem os Sangue estavam destinados a deter tal poder. Nem a Feiticeira jamais controlara todo esse poder. A verdade é que esta menina controlava. Esta jovem Rainha. A filha da sua alma. Com esforço, Saetan estabilizou a respiração. Poderia aceitá-la. Poderia amá-la. Ou poderia temê-la. A decisão cabia a ele, e o que quer que decidisse aqui e agora seria uma decisão com a qual teria de viver.”


Ao imaginar a vinda da grandiosa soberana, os irmãos prometeram uma vida de servidão e lealdade, almejando se tornarem os homens da nova rainha e servirem somente a ela, protegendo de qualquer ameaça. Porém a tão esperada feiticeira Jaenelle Angelline chega ao reino com apenas 7 anos de idade, com um poder bruto e frágil sendo obrigada a se esconder de qualquer infortúnio. Sua força a leva a Saetan, que se torna seu tutor e professor, para que possa ensina-la  a controlar a sua magia.

Jaenelle ainda era cercada por mistério e alguns até mesmo duvidavam do potencial de sua força, enquanto outros viam nela uma fonte de poder inesgotável. Ela obteve suas jóias de uma maneira nada convencional: um dragão lendário a presenteou com todos os dons, até a supremacia da jóia negra. Seu poder a permitia viver em Chaillot, seu reino de origem e ainda viajar à todos os mundos para cumprir com excelência seu destino. A feiticeira tem Daemon como um grande amigo, mesmo com toda sua ira. O príncipe se dedicava a própria vida à futura rainha, apaziguando-a de qualquer revés.

“Não era luxuria- o fogo do corpo empalidecia em comparação ao abraço entre mentes- embora o prazer físico estivesse presente.(...) Queria entrelaçar a vida na dela até que fosse impossível saber onde começava uma e terminava a outra. Queria colocar os braços à sua volta, fortes e protetores, e sentir-se também ele, protegido; possuí-la e ser possuído, dominá-la e ser dominado” 
 
Enquanto muitos “Sangue” (nobres) comemoram início cumprimento da profecia, mulheres de todos os reinos temem que a jovem realize sua missão e assuma o trono em um momento breve. Ao longo dos anos são orquestrados diversos planos para destruir a feiticeira prodígio e todos àqueles que a auxiliam. Nenhum deles vai medir esforços para conseguir o que quer, eles podem estar bem perto desse objetivo.


A obra possui uma história muito densa e vai exigir toda a atenção do leitor. Por retratar um conteúdo inédito e com infinitos detalhes, é possível se sentir confuso em alguns momentos, mas a autora nos traz um pequeno glossário com informações básicas sobre o reino, os personagens e seus poderes. O livro é extremamente rico de detalhes e todas as informações podem nos trancar em um mundo onde objetos são trazidos de qualquer lugar com a força do pensamento, as pessoas viajam por teias entre os reinos e mundos ou até mesmo ter uma faca atravessada no coração e continuar vivendo em um lugar diferente. O leitor pode se ver praguejando “Mãe Noite” (às vezes falo isso até hoje”) e algumas mulheres por aí iriam adorar que pudessem dominar seu parceiro com o controle de um anel.

O que aconteceu não é que eu devorei o livro, foi o livro que me devorou. E depois dele mudei meus conceitos sobre muita coisa na literatura. Muito se fala sobre pedofilia nesse livro, mas no meu conceito, houve uma paixão pela profecia tão avassaladora que a idade de Jaenelle foi colocada em segundo plano, e somente acompanhando o restante da trilogia se encontra a razão dessa grandiosa história. Anne Bishop adquiriu ideias formidáveis nessa construção, e criou um mundo totalmente novo, onde não existe nenhum limite, nenhuma lei ou nada que faça o leitor se deter em qualquer momento, o senso moral esquecido na contra-capa do livro, e em todo o conteúdo, é possível se aventurar numa história sem nenhuma chance de encontrar qualquer clichê.

A história é narrada em 3 pessoa, e tem como personagem principal Jaenelle, Saetan, Lucivar e Daemon, são secundários, ainda assim, existem outros personagens que são de grande importância para a historia. É necessário dedicação ao enredo por ter uma imensa riqueza de detalhes. O livro me ganhou de tal forma que não há nada que eu possa fazer, além de dizer que ele merece 5 estrelas e que sua originalidade o tornou meu livro favorito.


Mariene Pettioti
20 anos. Geminiana do coração de flores. Viagem dos sonhos: Estrada Real, prisioneira de histórias, lava a alma com chuva, músicas narram momentos.

3 comentários:

  1. Oi Mari, tudo bem? Eu ainda não li, mas acho essa capa incrível! Que bom que foi uma boa leitura a ponto de te devorar. Não parece ser só mais um livro de fantasia, realmente parece que é muito mais, uma excelente premissa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mari!
    Se antes esse livro já tinha minha atenção, depois dessa resenha maravilhosa ele tem meu interesse. Coisa boa que a Arqueiro já terminou de lançar a trilogia.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
  3. Ingrid vemk, vamos ser amiguinhas! hahaha

    Guria, sério, vou por tu, tuas resenhas, tuas fotos e o teu blog num potinho e guardar pra sempre. hahahahahaha

    Eu to apaixonada pelo fato de tu resenhas os livros que eu mais amo ou mais quero ler, e que ninguém resenha. Já disse no comentário anterior que tava em surto só por tu ter resenhado este livro, que nem ia me incomodar muito se a nota fosse baixa, mas tu gostou dele e agora eu to em lágrimas de alegria!!! *-------*

    To stalkeando o blog em várias redes, don't be afraid! hahahaha

    Att.,
    Eduarda Henker
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir

 
© Blog Resenha Atual - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda Tecnologia do Blogger.
imagem-logo