Resenha: A Rainha das Trevas - Anne Bishop

quarta-feira, 28 de junho de 2017
Jaenelle Angelline é a feiticeira da profecia e rainha de Ebon Askavi. Agora, o reino das sombras está sob sua proteção. No entanto, membros corruptos dos Sangue continuam à espreita e, em um jogo perverso de política e intriga, pretendem destruir todos aqueles que ficaram do seu lado. Enquanto isso, depois de ter escapado da loucura do reino distorcido, Daemon Sadi finalmente chega a Kaeleer, onde o destino o levará a se reencontrar com Lucivar, Saetan... e Jaenelle. Mesmo após tanto tempo, seu amor continua inabalável. E, sendo consorte prometido da rainha, o poder de sua joia estará a serviço dela, caso Jaenelle assim o deseje. Entretanto, isso pode não ser suficiente para evitar o terrível plano que está prestes a ser executado. Uma guerra está a caminho. E, quando ela chegar, apenas um grande sacrifício poderá salvar o reino.

               

                  ❤ Autor:  Anne Bishop ❤ Páginas: 400     Editora: Arqueiro

Esta resenha contém spoiler dos livros anteriores.
- A filha do sangue
- A herdeira das sombras
Passados treze anos de devastação no sanatório Briarwood, Jaenelle foi brutalmente violentada fazendo-a cair no abismo. A luta de Daemon para salvar a feiticeira o sugou para o mundo Distorcido, permanecendo na loucura por um longo tempo. O sádico teve sua sanidade parcialmente recuperada com a ajuda da harpia assassina Surreal e por acreditar que sua rainha prometida havia sido assassinada, foi obrigado a buscar outras rainhas de Kaeleer, ou até mesmo de Terreille a qual o Príncipe dos Senhores da Guerra pudesse servir. Mas por acaso do destino, o homem encontra seu irmão Lucivar Yaslana, que leva para a crescente Corte da poderosa Rainha Das Trevas.

A rainha haylliana Dorothea SaDiablo se uniu à decadente sacerdotisa suprema Hekatah para tentarem destruir todos os reinos de kaelerr e dominar o poder da Feiticeira Jaenelle. As duas estão orquestrando uma guerra que dizimará todos os Sangue, possuintes de Joias ou não. Quando Daemon chega no Paço SaDiablo, descobre que seu pai é o administrador de quase todos os reinos de Kaeleer quando recebe o anel de consorte da rainha, mas só após a Feiticeira colar os pedaços de seu Cálice Mental, é que o homem se encontra em segurança de sua posição, e somente quando foi possível declarar seu amor e fidelidade pela jovem é que conseguiu desempenhar seu papel na Corte. 

 Exemplar cedido pela editora.


“- Aceitarei a decisão da senhora – Ao seguir Saetan até a sala de jantar, não conseguia deixar de desejar que a mulher que Jaenelle se tornara não fosse muito diferente da criança que recordava – e que tinha amado”
Quando sua avó e seu séquito se hospedam em sua residência, a feiticeira tem seu poder testado pela desconfiança e subestima de toda sua família biológica, causando uma ira que todos desconheciam . Após uma onda de assassinatos entre alguns aliados do reino e a descoberta de algumas traições, a rainha se ver obrigada a tomar algumas decisões para defender seu povo e todos aqueles que amam, mas ainda assim, não permitia que Kaeleer declarasse guerra e se sacrificasse em uma luta perdida. Ao emitir ordens que desagradem a todos, Jaenelle só pôde contar com Daemon para que a defesa fosse acionada e salvar os Sangue da devastação que se criaria caso Dorothea ou Hekatah tomassem o poder, mas isso despertaria no príncipe um lado sombrio e abominável a qual todos temiam ser o Sádico. 

Mesmo agora que Jaenelle tenha se tornado uma jovem mulher, ainda expõe seus anseios e sonhos com a mesma doçura do primeiro livro, enquanto Daemon que outrora havia sido um homem sagaz e cruel para com seus inimigos, agora se mostra fragilizado e inseguro graças aos problemas emocionais que sofre no decorrer da história. Esse livro é sempre capaz de impressionar pela construção dos personagens e o encaixe perfeito de cada um deles em todas as partes em que lhes cabem. A autora nos permite sentir o que move cada personagem e sua fantasia nos faz imaginar infinitas possibilidades de vida ou existência.
“O anel de consorte lhe pesava o dedo, mas, por causa dele, podia pedir algo que desejava ardentemente.- Posso abraçá-la por um minuto?- Eu amo você. Esperei a vida toda para me tornar seu amante. Mas era jovem demais, senhora”

Mesmo agora que Jaenelle tenha se tornado uma jovem mulher, ainda expõe seus anseios e sonhos com a mesma doçura do primeiro livro, enquanto Daemon que outrora havia sido um homem sagaz e cruel para com seus inimigos, agora se mostra fragilizado e inseguro graças aos problemas emocionais que sofre no decorrer da história. Esse livro é sempre capaz de impressionar pela construção dos personagens e o encaixe perfeito de cada um deles em todas as partes em que lhes cabem. A autora nos permite sentir o que move cada personagem e sua fantasia nos faz imaginar infinitas possibilidades de vida ou existência.

O livro pode nos apresentar uma linguagem informal com gírias próprias, palavrões e seu entendimento é fácil apesar do excesso de informações que a história contém, porém desde o primeiro livro, a autora nos traz um guia informativo prático das Joias, personagens e hierarquia dos reinos, segundo a importância de cada um dos citados. A leitura necessita uma atenção minuciosa, pelo sua riqueza em detalhes e densidade no enredo. Um pequeno trecho pode nos explicar as ações seguintes de todos os capítulos. A história é narrada em terceira pessoa, mas isso não impede que as ações dos personagens sejam apresentadas com esmero e meticulosidade

 Fogo do Inferno! Mãe Noite e que as Trevas sejam misericordiosas! Cada pequena subdivisão do capitulo, cada texto desse volume foi capaz de me roubar o ar. Anne Bishop tem se tornado minha autora preferida desde o primeiro livro da trilogia. O enredo é sensual, mas nunca abusa da vulgaridade, transbordando em sentimentos como amor, lealdade e dedicação. Cada página exala emoções fortes, e eu várias vezes me vi com a adrenalina a flor da pele quando cada ameaça era apresentada. Houveram momentos da historia que mereciam ser prolongados para um melhor deleite do leitor, mas é compensado quando o livro chega ao clímax. Aqui se encerra uma obra revolucionária e aterradora que ate hoje divide opiniões tão discrepantes sobre assuntos similares, e talvez por esse motivo, se tornou tão importante para mim.


Mariene Pettioti
20 anos. Geminiana do coração de flores. Viagem dos sonhos: Estrada Real, prisioneira de histórias, lava a alma com chuva, músicas narram momentos.

6 comentários:

  1. Oie
    Faz tempo que eu quero ler este livro, tem uma premissa de que gosto. Adorei saber sua opinião.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nessa...
      Eu sou muito fã dessa história é espero que você possa apreciar também, beijos

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Esse livro parece muito bom, tenho curiosidade de lê-lo... Adorei saber sua opinião!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi Mari,
    Eu tenho o livro 1 e não consegui terminá-lo.
    Você realmente acha que vale a pena? Você só elogia a série! HAHAHA
    Talvez eu volte a dar uma chance... A capa e a grandiosidade do enredo me chamam a atenção.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Mari, tudo bem? Eu ainda não comecei a ler a série, mas está na minha lista de leitura, quero conferir a narrativa da autora! Gostei de saber que ela não apela pela vulgaridade e realmente parece ser um enredo mais denso! Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. OOOOOI

    que identidade visual maravilhosa! essas capas com certeza me chamariam a atenção numa livraria. Infelizmente a gente sempre acaba prestando atenção na capa primeiro, né? HAHAHA mas acho que esse livro consegue sim reunir uma boa capa com uma história legal!

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir

 
© Blog Resenha Atual - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda Tecnologia do Blogger.
imagem-logo