Resenha: Depois do azul

sexta-feira, 24 de novembro de 2017
36105399Uma familia como as outras. Um pai, uma mãe e duas irmãs. Uma familia como as outras até que Geneviève tira a própria vida, à noite, na piscina de sua escola. Sua irmã gêmea, Lou-Anne, tenta então sobreviver ao drama, entre uma mãe devastada pela dor, um pai que bem ou mal finge não se abalar, e uma avó que se refugia por detrás da raiva. A escrita, as palavras e as letras virão ao socorro desta familia em pleno naufrágio. Um romance tocante, como é a vida quando temos quinze anos, com o futuro diante de si e que se decide morrer. Nesta narrativa dramática, dolorosa e necessária, Élaine Turgeon aborda o suicidio e a depressão com justeza e profundidade. Porém, sobretudo, ela nos faz reencontrar personagens intensos lutando com a morte, com a vida, no decorrer de uma história repleta de amor e de esperança. 



❤ Autor:  Élaine Turgeon   ❤ Páginas: 136     Editora: Plataforma 21


Oi, como estão?

Final de ano é sempre uma loucura e correria, e por isso as gurias acabam sem tempo de publicar novidades, mas keep calm, em breve a Ingrid posta mais resenhas tri legais pra vcs.
O livro é de hoje é um livro bem curtinho, tão curtinho que poderia até tratar-se de uma história curta, mas se considera como livro. Depois do azul foi publicado há alguns meses pela editora Plataforma 21 durante a campanha de prevenção ao suicidio. O tema do livro é exatamente esse, o suicidio de uma adolescente linda, talentosa e inteligente, que teria uma vida toda pela frente mas decidiu colocar fim à isso.

Geneviève é uma garota francesa que, apesar de ter um temperamento mais retraído, inclusive melancólico, jamais despertou em seus pais ou professores aquele sininho de alarme que nos diz que alguém está em perigo. É que Geneviève tinha todo um futuro adiante. Ela era uma talentosa nadadora, guria inteligente, esperta, talvez um pouco solitária, mas mesmo assim alguém fora do que se poderia considerar como "uma personalidade altamente depressiva".
Porém, uma noite qualquer, Geneviève decidiu por fim à própria vida. 
O livro alterna primeiramente os capitulos entre os preparativos de Geneviève para executar seu plano de acabar com tudo, e posteriormente o choque e a reação de seus familiares, colegas e professores.
O personagem de maior destaque acaba sendo justamente Lou-Anne, a irmã gêmea de Geneviève que, com delicadeza e emoção vai narrando ao leitor o efeito dominó devastador que isso teve em sua vida e familia. Para nos fazer entender melhor, a autora resgata situaçoes já passadas, nos remete a vida de Pauline, a avó das meninas e também de Jeanne, a mãe, duas mulheres com personalidades muito depressivas, tendências que ao se analisar friamente poderiamos até considerar como doentias. Tanto Pauline quanto Jeanne e posteriormente Geneviève escolheram afundar-se e não levantar, optaram por desistir sem ao menos tentar. E com base nisso é que Lou-Anne que vai tentando fazer a sua vida ser diferente. 

O livro é uma mensagem e um lembrete. O suicidio não afeta apenas aquele que o fez, mas à todos ao seu redor. "Perder" alguém é terrível. Mas quando esse alguém decide ele mesmo "perder-se" a dor poderia ser multiplicada por até três vezes. Por mais curta que seja a história, conseguimos sentir o sofrimento de seus personagens, a angústia, as perguntas incessantes cheias de porquês...

Esse é um livro que se lê em um ou dois dias até. Porém, ao meu ver, faltaram páginas. Eu queria entender Geneviève, e acho que faltou isso. A autora poderia e deveria ter nos trazido ainda que brevemente algo sobre a vida da personagem, porque eu acho que quando tomamos uma decisão tão drástica, houve um fator desencadeante para isso. Ninguém, ou pelos, muitos poucos, vão simplesmente se ferir por nada. Então, senti muita falta disso, de entender Geneviève e conhecer as suas motivaçoes. Por mais brutal e realista que seja a história, me pareceu um conto incompleto, pois eu queria sentir empatia pelos personagens e conhecê-los e não foi possivel, nem mesmo Lou-Anne.

De qualquer maneira, é um livro ótimo pra quem busca conhecer e saber mais sobre o tema, principalmente no tocante aos familiares envolvidos, já que a trama toda é coerente e bem realista. Como é um livro bem curtinho, é uma opção boa pra quando temos pouco tempo pra ler e buscamos algo denso, que nos faça refletir e tenha em nós algum impacto emocional.


Alice Duarte
25 invernos, Mãe de dois, Casada, Leitora compulsiva, Drama queen, Fashion victim, Coffee addict, Intento de blogueira. Autora do blog Um Blog Litteraire.

8 comentários:

  1. Oie
    É bom ler este tipo de assunto, é bom refletir sobre até para poder ajudar alguém. Confesso que não curto muito este tipo de livro, mas é necessário. Gostei de saber que é uma leitura rápida.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alice!
    Acabei de ler Por Lugares Incríveis, que trata de suicídio também, e pensei muito nele lendo a sua resenha, apesar de muitas coisas diferentes.
    A leitura pode ser dolorosa, mas esse é um lembre muito válido!
    Não gosto muito de contos - apesar de esse não ser um conto - exatamente por causa disso, de acabar muito rápido e não nos dar tudo o que poderia dos personagens e da história.


    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Alice,
    Eu queria ler esse livro desde que o vi pela primeira vez.
    A história me deixa curiosa, parece algo que vai me impactar.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Alice,
    eu vi o Paulo do Livraria em Casa falando muito bem desse livro. Mas confesso que não faz muito meu estilo, tenho procurado evitar livro com personagens depressivos e situações envolvendo suicídio ou tentativa de. Ainda assim, acredito que esse seja um livro muito importante de ser lido.

    Att,
    Eduarda Henker
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir
  6. Oi, Alice!
    Eu gosto de livros que tratam esse assuntos mais pesados e que deveriam ser mais discutidos pela sociedade.
    Não conhecia esse e posso dizer que vou colocar na minha wishlist!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Oi Alice, Um resenha que caiu como uma luva este mês de Setembro.
    Muito importante a questão sobre como as pessoas se sentem quando é próximo da pessoas que cometeu suicídio.

    Um abraço!
    https://www.depoisdaleitura.com.br/

    ResponderExcluir

 
© Blog Resenha Atual - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda Tecnologia do Blogger.
imagem-logo